Loteamentos
e Incorporação
Av. Higienópolis, 70
Londrina - PR
Segunda à sexta-feira
8h - 18h | Sáb 8h - 12h
Atendimento
(43) 3373-7979
[aps-social id="2"]

Cachoeiras, cavernas e rios de água cristalina no Mato Grosso

Cachoeiras, cavernas, chapadões e rios de água cristalina impressionam pela natureza selvagem e praticamente intocada!

O estado do Mato Grosso é muito conhecido pelo famoso calorão da capital Cuiabá, pela força do agronegócio no interior, que é um dos maiores do país, e também pelas inúmeras belezas naturais que encantam a todos, como é o caso da belíssima Chapada dos Guimarães.

Mas desbravando o interior do estado, vamos descobrir que a Chapada é somente um dos recantos de natureza exuberante no estado. Cachoeiras cristalinas, grandes rochedos milenares, cavernas e grutas praticamente intocadas se escondem em meio às matas nativas mato-grossenses.

Verdadeiros santuários naturais preservam espécies raras, fauna, flora, chapadões e florestas virgens que fazem do Mato Grosso um lugar de beleza singular e de muitos encantos. Selecionamos 10 paraísos naturais do estado que surpreendem e fazem brilhar os olhos!

Preparados para uma viagem inesquecível pelas principais belezas naturais do Mato Grosso? Então vamos nessa!

 

1 – Chapada dos Guimarães

Quando falamos em cartões postais de Mato Grosso, quase sempre o que nos vem à mente é a Chapada dos Guimarães, uma pequena cidade a cerca de 70km da capital Cuiabá, que abriga o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, uma reserva repleta de cachoeiras, paredões, grutas e piscinas naturais.

O parque conta com mais de 300 km de extensão, entre belíssimas formações rochosas e cachoeiras que podem ser apreciadas pessoalmente, através de trilhas para os mais dispostos com espírito aventureiro, ou de forma confortável nos mirantes espalhados pelo parque.

Chapada dos Guimarães - MT

A Chapada dos Guimarães é o mais famoso cartão postal do estado do Mato Grosso. (Foto: Elemental Travel)

 

Vislumbrar de forma panorâmica a Cachoeira Véu da Noiva, por exemplo, é uma dádiva. São 86 metros de altura de uma queda exuberante que finaliza num poço de águas cristalinas em meio às pedras.

Cachoeira Véu da Noiva - MT

A Cachoeira Véu da Noiva impressiona pela altura e força das águas. (Foto:Lugares Fantásticos)

 

Para completar o espetáculo, as lindíssimas araras vermelhas, um símbolo da fauna mato-grossense, fazem seus ninhos nos paredões rochosos da Cachoeira e constantemente passam sobrevoando o local dando um verdadeiro espetáculo.

Por questões de segurança e até mesmo de preservação ambiental, não é permitido nadar no poço do Véu da Noiva e, com exceção do mirante dela, todos os passeios pelo Parque só são permitidos mediante agendamento prévio e com acompanhamento de guia, salvo exceções.

Além do cartão postal, a Chapada tem diversos passeios por lugares inacreditáveis e até mesmo históricos. A Cidade de Pedra conta com formações rochosas milenares altíssimas, que mais parecem arranha-céus feitos com rochas.

A caverna Kiogo Brado, bem como a Cachoeira Andorinha e outras quedas de diversos tamanhos e intensidades podem ser avistados e conhecidos de perto através das visitas monitoradas em trilhas mata adentro.

Cascata Andorinha - MT

A cascata Andorinha é a mais alta de um complexo de sete pequenas e charmosas quedas na Chapada dos Guimarães. (Foto: Água Boa News)

 

Os esportes de aventura como rapel, arborismo, tirolesa e trilhas de bike ou a pé ganham ainda mais adrenalina num lugar que é de tirar o fôlego! O Mirante do Centro Geodésico é uma pedra no alto de um dos chapadões que tem uma vista de arrepiar – literalmente.

Mirante Pedra do Centro Geodésico

O mirante do Centro Geodésico é de tirar o fôlego! Você encararia? (Foto: Clictraining)

 

Os trekkings pela mata são outra atração à parte da Chapada dos Guimarães. O Morro de São Jerônimo tem 836 metros de altitude e uma trilha até seu ponto mais alto que leva cerca de sete horas a pé na realização dos trechos de ida e volta. Um esforço e tanto, mas que, sem dúvida, vale a pena!

Morro de São Jerônimo - MT

Tomada ampla do Morro de São Jerônimo, onde é possível fazer trilhas até seu cume e apreciar a vista panorâmica da Chapada. (Foto: Turismo Rural MT)

 

Nos arredores do Parque está a cidade Chapada dos Guimarães, que conta com uma estrutura turística completa, acomodando todos os tipos de visitantes, dos mais simples aos mais exigentes.

Pousadas, hotéis, restaurantes de alta gastronomia e de culinária mais simples, mas muito acolhedora, oferecem seus serviços de muita qualidade para os mochileiros e apreciadores da natureza.

Também na região da Chapada, a aproximadamente 46km do Parque, está a Caverna Aroe Jari, uma das mais belas formações de arenito, formando uma imensa gruta com 10 metros de altura e 60 metros de largura. Nas paredes, desenhos rupestres revelam um passado de milhares de anos preservado no interior do Mato Grosso.

A caverna ainda conta com uma impressionante lagoa de águas cristalinas que faz jus ao nome: Lagoa Azul. Para manter este santuário intacto, os banhos são proibidos e a visita só pode ser feita com a presença de um guia.

Gruta Aroe Jari - MT

A Gruta Aroe Jari tem águas extremamente limpas, transparentes e preservadas. (Foto: Nativos do Mundo)

 

Repleta de incríveis atrações naturais, o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães é um lugar que você precisa conhecer e conferir de perto toda a grandiosidade desse ecossistema riquíssimo e plural.

Lembrando que o Parque tem entrada gratuita com acesso somente para o mirante do Véu da Noiva, ok? Mas é bem fácil encontrar guias disponíveis no local para acompanhamento nos demais passeios.

Além disso, em alguns dias e horários é possível conferir algumas atrações de forma independente, sem a presença de um guia. Para saber quais lugares podem ser visitados dessa forma e os horários, consulte o hotel de sua hospedagem.

Os hotéis fornecem também um cronograma completo dos passeios e atrações do parque. Agências de turismo costumam montar grupos com veículos próprios para a realização de tours pela Chapada, o que facilita bastante para quem vai sozinho ou não tem carro.

Ou seja, não tem desculpa para não conhecer esse paraíso natural! Não dá pra perder, né?

 

2 – Cachoeira da Fumaça (Jaciara)

A pequena cidade de Jaciara, a 144 km de Cuiabá, já se tornou uma espécie de capital estadual de espertes de aventura. Isso porque em seus arredores existem mais de 72 quedas, entre cascatas e cachoeiras.

As corredeiras são um atrativo especial para os praticantes de rafting e do chamado cachoeirismo, que nada mais é do que o rapel feito em quedas d’água. Longas corredeiras pelo rio abaixo passando por diversos níveis levam botes infláveis em percursos de 2h30. Para ambos os esportes, instrutores treinados dão suporte na prática de aventura.

Cachoeirismo nas quedas de Jaciara - MT

O rapel em cachoeira, ou cachoeirismo, é muito praticado nas quedas de Jaciara. (Foto: Portal Turismo MT)

 

A Cachoeira da Fumaça é uma das mais procuradas pelos aventureiros de plantão porque conta com três incríveis quedas de médio porte. A maior delas tem 30 metros de altura, num complexo paradisíaco entre trilhas, paredões rochosos e balneário.

Apesar de pequena e com uma singela população de aproximadamente 26 mil habitantes, Jaciara tem uma boa estrutura turística para satisfazer quem está em busca de aventura e de natureza selvagem. São cerca de 15 hospedagens, entre hotéis e pousadas, além de clubes recreativos e adrenalina de sobra!

Corredeiras dos Rios em Jaciara - MT

Aproveitar as corredeiras nos belíssimos rios de Jaciara é uma das atrações mais procuradas pelos aventureiros. (Foto: Portal Terra)

 

Cachoeira da Fumaça - Mato Grosso

A Cachoeira da Fumaça conta com 3 quedas que fazem uma verdadeira cortina de fumaça sobre as rochas. (Foto: Nativão)

 

3 – Cachoeira Serra Azul (Bom Jardim, Nobres/MT)

A pequena vila de Bom Jardim, em Nobres, a 145 km de Cuiabá, tem tantos lugares surpreendentes que é até difícil elencar apenas uma ou outra atração em tópicos. São diversas cachoeiras, cavernas, grutas e rios de água cristalina praticamente intocados!

A exuberância da região se assimila a de Bonito, no Mato Grosso do Sul. Inclusive, o slogan adotado por Nobres é uma clara comparação em tom de brincadeira afim de atrair turistas: “é mais que Bonito, é lindo!” Sem rivalidades e brincadeiras à parte, as duas regiões merecem ser visitadas.

Em Nobres a estrutura turística é um pouco inferior, mais rudimentar, em processos iniciais de evolução. Mas isso de maneira alguma pode ser um impeditivo para conhecer o lugar. Há quem pense que a rusticidade dá ainda mais charme à região.

Primeiramente vale ressaltar que os parques ecológicos e reservas naturais se encontram no distrito de Bom Jardim, que fica um pouco afastado de Nobres, e tem uma singela e acolhedora estrutura de pousadas e restaurantes.

Vamos iniciar nosso tour em Bom Jardim pela belíssima Cachoeira Serra Azul, com 46 metros de altura e um grande poço de 30 metros de diâmetros e 6 de profundidade. O cenário complementa a exuberância da queda: matas virgens e água em tons azul-esverdeados que são de impressionar.

Cachoeira Serra Azul - MT

A Cachoeira Serra Azul é uma das grandes e belas atrações do distrito de Bom Jardim, em Nobres. (Foto: Rota das águas)

 

Claro que para desfrutar de toda essa beleza, é preciso se esforçar! A Cachoeira fica dentro de um complexo do Sesc, e é preciso caminhar bastante mata adentro e batalhar pra subir e descer os 470 degraus da escadaria que levam até ela.

A vista, ao final, compensa tudo. E além de apreciar o visual panorâmico do alto da Serra Azul, ainda é possível praticar arborismo ou curtir a enorme tirolesa de 700m de descida desde o topo da cachoeira. São 50 metros de aventura literalmente ladeira abaixo e, para os menos aventureiros, há a opção do mergulho nas belíssimas águas do poço.

Mergulho na cachoeira Serra Azul - MT

Seja para se aventurar ou relaxar, a Cachoeira Serra Azul surpreende e encanta a todos. (Foto: Viagem Família)

 

O passeio precisa de agendamento prévio e acompanhamento de guia, é claro, por questões de segurança. As atrações têm valores distintos e a contratação dos serviços de guia nos passeios pode ser feita diretamente nas pousadas e nas agências de turismo.

Uma informação bastante válida para os turistas de primeira viagem é conferir a época de cheia dos rios e de seca. Temporadas de muita chuva, que geralmente vão de novembro a março, podem atrapalhar um pouco as atrações.

As cachoeiras e rios ficam muito caudalosos e turvos, impossibilitando a visão cristalina que as águas têm. Além disso, tomar banho sob as quedas das cachoeiras, por exemplo, se torna impossível e por isso são proibidas. Programe-se antes, ok?

 

4 – Flutuação no Rio Triste (Bom Jardim, Nobres/MT)

Uma das maiores atrações de Bom Jardim são as flutuações no Rio Triste e outros belos rios da região. O visual tem uma beleza especial por conta do fundo de calcário em tons claros refletidos pelas águas transparentes e repletas de peixes das mais variadas espécies.

Flutuação no Rio Triste em Bom Jardim - MT

As flutuações no Rio Triste permitem a visualização de espécies variadas de peixes em suas águas cristalinas. (Foto: Vamos Pra Onde?)

 

O Rio Triste fica dentro da Fazenda Água Branca, um local relativamente próximo à Cachoeira Serra Azul. O passeio possibilita fazer a flutuação nas águas num trecho de 1km com equipamentos obrigatórios como colete salva-vidas, máscara com snorkel e sandálias de mergulho específicas.

O uso de protetor solar e outros cosméticos é estritamente proibido para não deixar resíduos na água. Os critérios rigorosos não permitem sequer pisar no fundo do rio para preservar a limpeza e a transparência das águas.

Válido, né?

Rio Triste em Bom Jardim - MT

As águas do Triste em conjunto com o verde da vegetação intocada formam um cenário impressionante. (Foto: Uol)

 

Rio Triste em Bom Jardim - MT

O mergulho em meio ao cardume no Rio Triste é uma experiência inexplicável! (Foto: Melhores Destinos)

 

A beleza do cenário se completa com a presença de macacos e araras em meio à vegetação nativa e as matas intocadas. Para realização do passeio é necessário o acompanhamento de um guia, assim como os demais.

Como a maioria dos acessos é feita somente por estrada de terra, assim como a Fazenda Água Branca, é importante ir com veículo próprio ou alugar. As estradas não são das melhores, principalmente em temporada de chuvas.

Além da Cachoeira Serra Azul e da flutuação no Rio Triste, a região toda é cheia de atrações imperdíveis para se fazer em família e entre amigos.

Para os mais aventureiros, há fazendas e recantos para praticar boia cross entre corredeiras que passam por paredões e dentro de cavernas. Além dos tradicionais esportes de aventura, em Bom Jardim é possível encontrar também lugares para voos de Parapente com instrutores e muita emoção!

Para os que optam por menos intensidade de adrenalina ou iniciantes, há mais lugares para andar de tirolesa com trajetos mais curtos e menos altos que na Serra Azul. Locais para banho e mergulho também não faltam, como o Aquário Encantado, Vale das Águas, refúgio Água Azul e o Balneário Estivado.

Se a opção for relaxar, curtir a natureza de forma tranquila e tirar belas fotos para guardar de recordação, o Lago das Araras e o Mirante do Cerrado proporcionam paisagens inesquecíveis e experiências singulares em meio às matas nativas e o canto dos pássaros.

Lagoa das Araras - Mato Grosso

O Lago das Araras ganha um charme ainda mais especial aos fins de tarde, quando as aves retornam ao seus ninhos e cantam, proporcionando um belo espetáculo para quem assiste. (Foto: Coelho Moto-Jipeiro)

 

Então, prepare-se para cair estrada e não deixe de conhecer esse paraíso natural em Nobres!

 

5 – Cachoeira Salto Utiariti (Campo Novo dos Parecis)

O Salto Utiariti, em Campo Novo dos Parecis, se localiza em território indígena e é uma das maiores quedas do estado do Mato Grosso. São quase 98 metros de altura de muita imponência formada pelas águas do Rio Papagaio.

Para chegar até o topo da Cachoeira, é preciso passar por uma trilha que parte da aldeia e passa por entre a mata num caminho de fácil complexidade, embora um pouco longo. O passeio dura de 4 a 5 horas, com a possibilidade de ir até o alto do Salto e também até os mirantes posicionados estrategicamente em frente à queda.

As força das águas caudalosas e esverdeadas do Rio Papagaio impressiona pelo impacto da queda de mais de 90 metros. E o cenário? De tirar o fôlego!

Cachoeira Salto Utiariti - MT

A reserva indígena de Parecis compreende uma região de belezas naturais preservadas e praticamente intocadas. (Foto: Terra dos Parecis)

 

Cachoeira Salto Utiariti - MT

O Salto Utiariti ganha ainda mais força e impacto pelo caudaloso Rio Papagaio. (Foto: Viagem e Turismo)

 

Os passeios tem um custo fixo e abrangem o acompanhamento de um guia e refeição (almoço). Certamente, é um programa inesquecível para toda a família!

 

6 – Cachoeira do Borá (Tesouro/MT)

A aproximadamente 363km da capital está Tesouro, uma cidadezinha simpática e repleta de belezas naturais. Nos arredores de Tesouro concentram-se belas cachoeiras de águas claras e muito verde natural do cerrado mato-grossense.

No Chapadão de Dantas está a Cachoeira do Borá que, fazendo um justo trocadilho com o nome do município, é um verdadeiro tesouro precioso escondido em meio à mata!

Cachoeira Salto do Borá - MT

A paisagem da Cachoeira do Borá em vários tons de verde conquista a quem chega já no primeiro contato. (Foto: Guru da Cidade)

 

Quando falamos escondido é porque o acesso, embora não seja difícil, é recomendável que seja auxiliado por um GPS, Google Maps ou um app confiável para não haver dúvidas no roteiro.

Outra dica válida é contratar um condutor local que conhece muito bem a região e pode levar até a Cachoeira sem maiores problemas pra curtir o dia com tranquilidade.

 

7 – Cachoeira do Uirapuru (Nova Lacerda/MT)

A Cachoeira do Uirapuru está dentro do perímetro urbano de Nova Lacerda, a cerca de 26 km da cidade. Apesar de não ser muito afastado da cidade, o local preserva todo a beleza natural de uma vegetação intacta.

Além de pouco explorado, a região conta com uma estrutura perfeita para um programa tranquilo em família e entre amigos. Numa área próxima às quedas, há a possibilidade de fazer um bom churrasco e até acampar.

Uma pequena trilha de fácil acesso leva até uma agradável piscina natural formada pelo encontro das quedas d’água de duas cachoeiras médias que formam o Uirapuru. O lago não é muito profundo e tem tons esverdeados que encantam qualquer visitante!

A região tem tudo para satisfazer quem está em busca de um dia diferente, relaxante, desfrutando da natureza e de tudo que ela possa oferecer, com fauna e flora presentes e ajudando a compor um cenário espetacular.

Cachoeira Salto do Uirapuru - MT

As águas do Salto do Uirapuru são convidativas para um mergulho e um bom banho em sua piscina natural. (Foto: Guru da Cidade)

 

O acesso à Cachoeira do Uirapuru se dá por estrada de boa sinalização através de placas que indicam a região das cascatas em Nova Lacerda. Dá pra chegar de carro tranquilamente, mas é recomendável buscar informações na cidade sobre eventuais interdições no trecho, ok?

 

8 – Cachoeira das Andorinhas (Aripuanã)

Nosso tour pelas belezas exuberantes do Mato Grosso não poderia deixar de contemplar Aripuanã, a 998 km de Cuiabá. A cidade é marcada por intensa e generosa presença da natureza através de rios, matas e cachoeiras imponentes.

Os saltos Dardanelos e Andorinhas são quedas formadas pela vazão do Rio Aripuanã, muito forte e caudaloso. O panorama fica completo com a vegetação da floresta amazônica abrigando diversas espécies de pássaros na região.

Este fator, aliás, é o que dá nome ao Salto Andorinhas. São milhares sobrevoando as belas cachoeiras, juntamente a outras aves que fazem seus ninhos nas matas praticamente intocadas.

Araras, papagaios, corujas, tucanos e outras aves fazem de Aripuanã a 5ª cidade do Brasil com mais espécies catalogadas e um excepcional observatório de pássaros. Além disso, para quem gosta de pescaria, os rios Aripuanã, Roosevelt, Guariba, Canamã, Rio Branco e Capitari são incríveis viveiros de milhares de peixes.

A Cachoeira Andorinhas é marcada por grandes paredões rochosos e grandes fluxos de água. Em épocas de cheia, a água é tão forte que só é possível admirar a queda de longe. Nos meses de seca, de agosto a novembro, a vazão é menor e permite que os turistas se aproximem das pedras para ver de perto as águas cristalinas do rio.

Cachoeira das Andorinhas - MT

O impacto da força das águas do Rio Aripuanã na Cachoeira Andorinhas pode ser sentido com mais intensidade em temporadas de chuva, as chamadas épocas de cheia. (Foto: Nortão Online)

 

Cachoeira das Andorinhas - MT

A vista panorâmica do rio permite visualizar a exuberância de pequenas e grandes quedas da Cachoeira Andorinhas. (Foto: Cleverson Veroneze)

 

A cidade é um reduto de belezas naturais! Por isso, esportes como rapel, rafting, boia cross, escalada, caiaque, mergulho, trecking pelas matas e outras atividades de aventura ganham um local privilegiado para a prática.

Balneários e diversas piscinas naturais estão disponíveis para banho e recreação dos turistas, que podem se refrescar do forte e intenso calor mato-grossense em águas limpas e geladas. São vários recantos, pousadas, restaurantes e uma boa estrutura turística de uma cidade que dispõem de uma enorme riqueza natural.

A Cachoeira das Andorinhas em Aripuanã é ponto obrigatório nessa viagem, não esqueça!

 

9 – Cachoeira dos Namorados (Vila Bela da Santíssima Trindade)

Nossa próxima e última parada neste tour de belezas exuberantes pelo Mato Grosso é Vila Bela da Santíssima Trindade, a 525km de Cuiabá. O município é histórico, tendo sua fundação em 1752 e se tornando a primeira capital do estado.

Repleta de inúmeras atrações turísticas naturais, daremos destaque a duas cachoeiras especiais: a dos Namorados e a Jatobá. Há mais duas próximas a elas que complementam ainda mais a beleza da região.

Para chegar a Cachoeira dos Namorados é preciso ir até o Parque Estadual Ricardo Franco, que fica a 15 km da cidade. Prepare um tênis bem confortável, água e uma roupa leve, porque 3 km desse percurso precisa ser feito a pé!

Mas o trajeto vale a pena: no caminho, piscinas naturais, riachos de águas cristalinas e o visual da Serra Ricardo Franco ao fundo faz valer a pena o esforço. Isso porque ainda nem chegamos à cachoeira!

No percurso até a o salto, uma boa surpresa: outra queda encantadora medindo cerca de 50 metros de altura e muita beleza! Esta é chamada Cachoeirinha, que é um aperitivo e tanto para o que vem a seguir.

Mais 15 minutos de caminhada e lá está ela. A Cachoeira dos Namorados tem aproximadamente de 70 metros de queda e é de deixar qualquer um deslumbrado! Escoando entre paredões rochosos cobertos por tons verdes de plantas, as águas do salto fazem jus ao nome e inspiram romance.

Cachoeira dos Namorados - Santíssima Trindade - MT

A Cachoeira dos Namorados compõe um cenário deslumbrante e inspirador. (Foto: Trilhando Montanhas)

 

As cascatas de água doce que escorrem pelas pedras formam uma espécie de véu, caindo suavemente e formando uma chuva de espumas na chegada a um poço belíssimo e cristalino em tons esverdeados.

Uma experiência inigualável!

 

10 – Cachoeira do Jatobá (Vila Bela da Santíssima Trindade)

Os encantos e exuberâncias nas terras históricas de Vila Bela da Santíssima Trindade não param por aí. A pequena cidade abriga simplesmente a maior queda do estado e, possivelmente, a quarta maior do Brasil: a Cachoeira do Jatobá.

As aferições das medidas não são exatas e oficiais, mas só de olhar dá pra perceber a imponência dessa gigante de aproximadamente 270 metros de altura e quase 15 metros de largura.

Para chegar até ela e apreciar toda essa exuberância é preciso muito esforço! São mais de 10 km a pé em trilhas não muito fáceis, um tanto íngremes e cercadas por muita mata nativa. Mas em meio a essa batalha toda, há uma pequena parada para retomar o fôlego…ou perder ainda mais: a Cachoeira dos Macacos!

Cachoeira dos Macacos - MT

Em meio à vegetação, surge uma bonita queda que escorre pelos paredões rochosos de Vila Bela. (Foto: Guru da Cidade)

 

A Cachoeira dos Macacos tem cerca de 80 metros e é um preparativo da exuberância que virá na sequência. Mesmo sendo praticamente um quarto do tamanho da Jatobá e não deixa a desejar em beleza e força!

Depois de recobrar o fôlego apreciando esta bela atração turística da região, prepare mais uma vez para seguir caminho por um longo trecho até chegar num cânion grande e imponente.

No alto de um dos chapadões está ela, a maior queda do estado, com uma vazão de água poderosa que escoa por entre as rochas e se dispersa nas enormes depressões do cânion. É quase impossível não se emocionar com esse espetáculo da natureza.

Cachoeiras do Jatobá - MT

A Cachoeira do Jatobá é a maior do estado e fica localizada entre enormes paredões rochosos de um belíssimo cânion. (Foto: Conhecendo MT)

 

Para chegar aos dois saltos, é preciso pagar uma pequena taxa ao pecuarista João Batista Macedo, proprietário da fazenda onde se situam as Cachoeiras. O local é repleto de muita vegetação nativa, diferentes espécies de aves, animais silvestres e uma atmosfera totalmente especial.

Essa mesma atmosfera, aliás, é a que toma conta de toda Vila Bela, onde, com sorte, em determinadas épocas do ano é possível até mesmo conferir o balé aquático de botos cinza e cor-de-rosa no Rio Guaporé.

As atrações turísticas na cidade são simplesmente imperdíveis e uma visita a esse paraíso natural é praticamente obrigatória – e inesquecível, pode apostar!

 

por Camila Viol.

Fontes: Conhecendo MT | Guru da Cidade | Catraca Livre | Esse Mundo é Nosso | Férias Brasil | Pé na Estrada | Vamos pra Onde

AVISO