Loteamentos
e Incorporação
Av. Higienópolis, 70
Londrina - PR
Segunda à sexta-feira
8h - 18h | Sáb 8h - 12h
Atendimento
(43) 3373-7979
[aps-social id="2"]

Conheça as melhores e mais belas cachoeiras do Paraná

Confira os melhores destinos do turismo ecológico no estado e descubra o encanto das cachoeiras paranaenses.

Se você não é um aventureiro “profissional” talvez não saiba que o Paraná é um dos destinos mais procurados quando o assunto é trilhas e cachoeiras. Inclusive, o estado abriga duas das maiores quedas d’água do país. Se você ainda não conhece, vale a pena conferir!

Todo mundo sabe que o contato com a natureza relaxa o corpo, alivia o estresse e espairece a mente da rotina atribulada que a gente tem no dia a dia. E é exatamente isso que esses destinos naturais oferecem: paz, tranquilidade e uma boa dose de aventura, é claro!

São cachoeiras e cascatas espalhadas por todo o estado, umas mais conhecidas e famosas, como as belíssimas Cataratas do Iguaçu, e outras muitas vezes escondidas em meio às matas como verdadeiros santuários praticamente intocados.

Se você está pensando em botar o pé na estrada e se surpreender com a beleza natural da nossa região, confira essas dicas e itinerários incríveis para melhorar ainda mais sua viagem. Mas se o momento não for propício para viajar, aproveite para se inspirar para as próximas férias!

E aí? Vamos juntos desbravar as principais cachoeiras do Paraná? Então, vem!

 

1 – Salto São Francisco, a maior cachoeira do Paraná

Prudentópolis, conhecida como a “terra das cachoeiras gigantes”, faz jus à fama. Localizada entre Ponta Grossa e Guarapuava, a cidade abriga a maior queda d’água de toda a região Sul do país.

Com 196 metros de altura, o Salto São Francisco impressiona pela beleza, altura e força das águas. Para se ter ideia, você consegue imaginar um prédio de 60 andares? Esse é o tamanho do paredão. Não é realmente extraordinário?

 

A mair cachoeira do sul do Brasil

Com 196m de queda, o Salto São Francisco é o maior do sul do Brasil. (Crédito: Viagem e Turismo)

 

A queda faz parte da Rota das Cachoeiras, itinerário obrigatório para quem quer conhecer as belezas naturais da região. E, acredite, são muitas!

Há trilhas para chegar à cachoeira, tanto pela parte de baixo, quanto por cima, para apreciação panorâmica do Salto. Após cerca de 1 a 3 horas de caminhada (depende do seu ritmo) em meio ao belíssimo cânion, é possível vislumbrar a imponência da queda.

O acesso é considerado fácil pelos trilheiros habituados, com terrenos planos e declives. Para quem não tem muita experiência, pode ficar tranquilo: o grau de dificuldade é médio, basta se prevenir com um bom tênis e bastante água para garantir a hidratação no caminho.

 

Trilhas de acesso à cachoeira Salto São Francisco

Trilhas auxiliam no acesso e levam à incrível cachoeira de São Francisco, em Prudentópolis. (Crédito: blog De mochila e caneca)

 

É claro que com tanta força e altura, o banho fica prejudicado. É possível chegar até o poço, que é a parte final da cachoeira, onde a água cai, mas devido ao impacto da queda é um tanto difícil entrar pra nadar. Mesmo assim, vale muito o passeio!

A cachoeira fica há 340km de Londrina e 204km de Curitiba numa área de preservação ambiental, dentro do Parque Municipal São Francisco da Esperança. O local é aberto ao público das 8h às 17h30, gratuitamente. Não deixe de visitar!

 

Cachoeira Salto São Francisco no Paraná

Visto de baixo, o Salto São Francisco impressiona pela força e beleza. (Crédito: blog Passo Forte Trekking)

 

2 – Cachoeira do Corisco, uma das mais belas quedas

Em Sengés, na divisa entre São Paulo e Paraná, localiza-se a cachoeira Vale do Corisco, uma das mais bonitas do estado. Isso porque são cerca de 100 metros de queda em meio ao cânion Bonsucesso, um paredão de rochas que são claras no topo e escuras no poço.

O contraste de cores e a força da água sobre as pedras são surpreendentes. Além disso, a exuberância da natureza local impressiona por ser um dos lugares mais preservados do Paraná.

A cachoeira fica dentro de uma Reserva Particular e, por esse motivo, o acesso até ela não é permitido. Porém, há um mirante em frente à queda, de onde é possível observar todo o seu esplendor.

 

Cachoeira Vale do Corisco

As águas cristalinas do Corisco desaguam numa queda de aproximadamente 100m de altura. (Crédito: Raffa)

 

A visão é de tirar o fôlego. Além do mirante, há trilhas na mata fechada que possibilitam outros ângulos privilegiados da lindíssima cachoeira e suas rochas. Como a mata é nativa, as trilhas são pesadas e requerem cuidados.

Se for encarar o desafio, use um tênis confortável e calças compridas, para que a vegetação não cause ferimentos, ok? Se a opção for apenas admirar a vista panorâmica do paredão, aproveite a atmosfera única e inigualável de paz que envolve o local.

Mesmo sendo uma reserva particular, o acesso ao mirante é gratuito e pode ser feito de carro até bem próximo dele. Não dá pra perder, né?

 

Mirante da Cachoeira Vale do Corisco

Como é proibido o acesso até a cachoeira, é possível admirar o tamanho e a exuberância da queda através de um mirante. (Crédito: Etrilhas)

 

3 – Salto Mlot, na Rota das Cachoeiras

Também em Prudentópolis, a terra das cachoeiras gigantes, encontra-se o Salto Mlot, mais um dos destinos obrigatórios a quem faz a Rota das Cachoeiras. A queda tem aproximadamente 130 metros de altura e águas mornas, com pouco volume.

As trilhas de acesso são de média complexidade em um caminho de belezas naturais que abriga a riqueza da fauna e flora nativas. É claro que isso é um convite e tanto para os apreciadores da natureza, né?

Mas não para por aí. De frente com o Salto Mlot, está o Salto São Sebastião, que também é uma cachoeira fantástica e lindíssima (já vamos falar dela). O turista tem a oportunidade de conhecer e admirar duas incríveis quedas ao mesmo tempo, frente a frente.

No local é cobrada uma taxa de entrada, mas pra contemplar esse cenário vale a pena!

 

Cachoeira Salto Mlto

O Salto Mlto atrai milhares de turistas por conta da beleza e da localização: no mesmo local, há outra enorme queda d’água. (Crédito: Prudentópolis Eco Aventura)

 

4 – Salto São Sebastião – O incrível paredão de frente com o Salto Mlot

Diante da base do Salto Mlot está toda a exuberância do São Sebastião, um salto de 120 metros que, da mesma forma que seu “irmão” de frente, não tem um volume caudaloso.

 

Cachoeiras São Sebastião

Do alto do São Sebastião é possível contemplar também o Salto Mlot, criando um cenário simplesmente incrível. (Crédito: blog A Estrada Nunca Acaba)

 

A temperatura da água é amena e bem agradável para o banho. Sentado em suas rochas ou aproveitando de suas águas mornas, o visitante se encanta com a vista de um local deslumbrante, onde pode ficar entre duas grandes quedas d’água.

Um outro atrativo da São Sebastião é um mirante em seu topo, possibilitando uma visão panorâmica de toda a região. Através de uma trilha, também é possível chegar bem próximo à queda, no ponto mais alto da cachoeira.

O local é bastante procurado pelos aventureiros e atletas de esportes radicais, como rapel e canyoning, onde o esportista pode explorar o rio e as paredes rochosas com cordas e apetrechos próprios para isso.

Como falamos, o acesso às duas cachoeiras se dá por meio de trilhas de dificuldade moderada. Mas se você não está acostumado a esse tipo de aventura, mantenha a calma: se prepare com roupas adequadas e bastante líquido.

Ao final do trajeto, seus esforços serão duplamente recompensados! Não é todo dia que se tem a chance de desfrutar de duas cachoeiras gigantes no mesmo lugar, né?

 

Salto São Sebastião no Paraná

São 120m de queda no Salto São Sebastião, formando um paredão fantástico de água e rochas. (Crédito: Casal Turista)

 

5 – O Salto Puxa-Nervos em Tibagi é rota dos amantes de aventura

Não tem como falar de esporte radical e belezas naturais no Brasil sem mencionar Tibagi, na região dos Campos Gerais, há 200km de Curitiba. A cidade abriga o maior cânion do país e o 6º maior do mundo em extensão, o Canyon Guartelá.

 

Cânion de Guartelá - 6º maior cânion do mundo

6º maior cânion do mundo, o Guartelá é destino obrigatório na rota dos aventureiros. (Crédito: blog Hey!Castro)

 

Além disso, Tibagi é rota certa no itinerário dos aventureiros porque abriga o Salto Puxa-Nervos, uma cachoeira de cerca de 50 metros e bastante volumosa, condições ideais para a prática de esportes como rapel e cascading.

Se você não é um esportista por vocação, mas é um amante da natureza, esse lugar é ideal pra você também. Principalmente porque o acesso à queda é fácil, em uma trilha relativamente curta e adaptada ao terreno, incluindo até pontes no trajeto.

 

Trilha para o Salto Puxa-Nervos

As trilhas que levam ao Puxa-Nervos são fáceis e bem organizadas. (Crédito: blog Repórter da História Rio Tibagi)

 

São cerca de 600m até o final do percurso, para então se deparar com a estreita, mas caudalosa, cachoeira. O topo do salto se dá entre as rochas, com árvores, mata nativa e toda a exuberância que a mãe-natureza pode oferecer.

Para visitar o Puxa-Nervos, há uma taxa de entrada, pois a área é de propriedade particular, mas a visita vale cada centavo, pode ter certeza!

 

Salto Puxa Nervos

O Salto Puxa-Nervos é muito procurado para a prática de esportes e é envolto de muita beleza da mata nativa. (Crédito: blog A Estrada Nunca Acaba)

 

6 – Cachoeira do Chicão II – recanto de água doce no norte do Paraná

A cidade de Faxinal, há cerca de apenas 100km de Londrina, guarda todo um catálogo de cachoeiras e cascatas dos mais variados tipos na região. São cerca de 80 quedas d’água, entre grandes e pequenas.

Uma delas, e talvez a mais bela, é o Chicão II, uma cachoeira de aproximadamente 46 metros de altura, com poços e piscinas naturais para banho. Há, inclusive, uma espécie de caverna feita pelo fluxo de água do local.

A região é porta de entrada para o Cânion Cruzeiro, onde são feitas trilhas ecológicas. Além disso, há apenas 200m da cachoeira, encontra-se mais uma queda, a Cachoeira Chicão I, esta um pouco menor (25m de altura).

Em ambas há a possibilidade de entrar nas piscinas naturais, inclusive sob a cascata, e tomar um banho bem refrescante, já que a água costuma ser gelada, mesmo no verão. Em meio ao clima quente e abafado do norte paranaense, Faxinal é um oásis de águas frias para ser desfrutado.

 

Cachoeira do Chicão em Faxinal - PR

Com quase 50m de altura, a Cachoeira Chicão II é um cenário incrível para um dia em contato com a natureza. (Crédito: blog Grupo de Caminhadas Faxinal)

 

O local é perfeito para os aventureiros de plantão. Entre águas calmas e mais agitadas, cascatas tranquilas e volumosas, a cidade se apresenta como o cenário ideal para prática de rapel, boia-cross e ciclismo entre trilhas.

Se o seu objetivo é apenas dar aquela quebrada na rotina e desestressar, a Cachoeira do Chicão II é um programa para toda a família, onde as crianças podem se divertir e entrar em contato com a natureza.

Vale a pena esticar um pouquinho num final de semana ou num feriadão pra ter acesso a isso tudo, não vale?

 

Cachoeira do Chicão no Paraná

Procurado para recreação a apreciação da natureza, o Chicão II é um recanto natural no norte do Paraná. (Crédito: blog Grupo de Caminhadas Faxinal)

 

7 – As belas cachoeiras e espaços para camping em Tamarana

Assim como Faxinal, Tamarana – PR é um município próximo a Londrina, cerca de 60km, repleta de atrações de turismo ecológico, com várias quedas d’água espalhadas pela vegetação nativa da região.

As cascatas chegam a 40 metros de altura, mas a maioria delas são pequenas quedas sobre as rochas, de onde escorrem águas frias e cristalinas até o poço, formando diversas piscinas naturais.

Na região há uma propriedade privada que abriga 4 dessas cachoeiras e ainda é possível se hospedar para desfrutar de tudo que a natureza oferece. Essa e outras estâncias disponibilizam serviço de camping e hospedagem, inclusive com opções que incluem café da manhã.

Os mochileiros só precisam levar barraca e os apetrechos básicos de acampamento para poder se instalar no local, que tem estrutura de banheiros e espaço para alimentação comunitários.

Aos mais acostumados com hábitos domésticos e que desejam uma dose menor de aventura, há também acomodação em chalé, para acolher aproximadamente 10 pessoas.

Nas dependências da estância é possível fazer trilhas em meio a mata que levam até as cachoeiras. Prepare as pernas: o espaço é amplo e com declives. É importante levar água e não esqueça do repelente!

No final, um mergulho nas águas refrescantes das cachoeiras faz toda a caminhada valer a pena.

 

Cachoeira em Tamarana no Paraná

Há cerca de 1h de Londrina, Tamarana concentra várias cachoeiras de águas frias e cristalinas em meio à vegetação nativa

 

Quer saber mais sobre Tamarana e outros locais lindos para conhecer? Nós fizemos uma lista com os melhores lugares para passear em Londrina e região, dá uma conferida aqui.

 

8 – A Cachoeira Sobradinho, em Sengés, faz parte da incrível Trilha das Cachoeiras

Assim como o Vale do Corisco, Sobradinho é uma fantástica queda que se localiza em Sengés, na divisa do estado. A cachoeira, também conhecida como Véu da Noiva, tem cerca de 30 metros, e é conhecida assim devido ao formato de sua cascata sobre a vegetação.

 

Cachoeira Veu da Noiva

Fazendo o formato de um véu, as águas do Sobradinho são um convite para os admiradores da natureza. (Crédito: blog Andando Por Aí)

 

O local onde a água atinge forma um enorme poço, ideal para banho, inclusive por trás da queda, compondo um incrível espelho d’água. Além disso, ao redor dessa grande piscina natural, há uma espécie de praia, formada por bancos de areia às margens.

Para completar esse cenário exuberante da natureza, a cachoeira e sua pequena praia ficam envoltos pela mata nativa fechada, com toda a beleza da fauna e da flora locais à disposição para serem apreciadas.

A trilha de acesso ao Sobradinho tem aproximadamente 1,5 km e o trajeto é simples, sem muita complexidade, o que reforça ainda mais o convite à visitação do local. Ao longo do caminho até o Véu da Noiva, há diversas indicações de trilhas para o topo da queda.

Além de levarem ao ponto mais alto da cachoeira e possibilitarem uma vista ampla e panorâmica da queda vista de cima, as trilhas percorrem o caminho por onde passa o rio, encontrando diversas pequenas piscinas naturais até seu ponto de chegada.

É diversão para o dia todo! A entrada é de graça, então prepare um kit de comes e bebes favoritos e divirta-se nas piscinas naturais e na prainha da Cachoeira do Sobradinho!

 

Cachoeira de Sobradinho em Sengés - PR

Do alto, é possível ver o enorme poço para banho e a pequena praia que se forma ao redor da Cachoeira do Sobradinho. (Crédito: Município de Sengés)

 

9 – Salto Sete, em Prudentópolis, uma das mais novas e inexploradas cachoeiras

Também na cidade das cachoeiras gigantes, Prudentópolis, está o Salto Sete, uma queda imponente de 96 metros de altura. Esta foi uma das últimas a ser descoberta na Rota das Cachoeiras, sendo, por isso, menos explorada que as demais.

Mas definitivamente em beleza e exuberância ela não fica atrás. E o melhor é que é possível conferir isso de perto, tanto na parte mais baixa, quanto na cabeceira, onde começa a queda.

 

Cachoeira Salto Sete em Prudentópolis - PR

O Salto Sete tem 96m de altura e faz parte do cenário singular da terra das cachoeiras gigantes, em Prudentópolis. (Crédito: Jornal Saturno)

 

Há trilhas que levam para as duas partes, uma de 500m que vai até a base, e outra de cerca de 1km, guiando até o ponto mais alto da cachoeira. São trajetos relativamente curtos e fáceis de serem feitos, o que ajuda muito na visitação do local.

Além disso, uma propriedade privada realizou melhorias nos acessos, tornando um ambiente próprio para o turismo e apreciação dos admiradores dessa incrível cachoeira.

O Salto Sete tem um enorme paredão em meio a vegetação nativa por onde corre o fluxo de água e desemboca numa enorme queda, porém, de pouco volume. Não há poço ao final da queda, já que as águas caem sobre as rochas, o que impossibilita o banho de cachoeira.

Mas, acredite, há muitos outros atrativos no local. O cenário é perfeito para os praticantes de rapel e inspiração para os que procuram por belas paisagens. Faça as trilhas, conheça de perto a gigante queda d’água, aprecie a natureza, tire fotos maravilhosas e visite um lugar simplesmente inesquecível!

 

Cachoeira Salto Sete em Prudentópolis - PR

O imponente paredão da cachoeira atrai diversos aventureiros e praticantes de esportes radicais, como o rapel (foto). (Crédito: Ricardo Luis)

 

10 – Cataratas do Iguaçu e o lado Argentino

 

Uma das sete maravilhas naturais do mundo

As Cataratas do Iguaçu são um dos destinos mais procurados, classificado como uma das Sete Maravilhas Naturais do mundo. (Crédito: Comboi Iguaçu)

 

É claro que nossa lista não poderia fechar sem falar da queridinha dos paranaenses, nosso orgulho nacional. As belíssimas Cataratas do Iguaçu localizam-se na região oeste do estado, em Foz do Iguaçu, e compõem um conjunto de 275 saltos.

As quedas são distribuídas entre o Brasil e a Argentina, sendo 800 metros de extensão pela parte brasileira e 1900m pertencente ao lado argentino. Das mais de 200 quedas, 19 são as principais do complexo.

A mais impactante é a chamada Garganta do Diabo, uma grande cachoeira em formato de ferradura, que se localiza no Parque Nacional Iguazú, no lado argentino, com uma queda de 85 metros e muita, mas muita água.

 

Cataratas do Iguaçu - Garganta do Diabo

Com 85 metros de altura, a Garganta do Diabo impressiona pela força das águas e o impacto das quedas. (Crédito: Agron)

 

Ao longo de todo o rio, cerca de um trilhão de litros por segundo escoam pelas fortes quedas do Iguaçu. Toda a força e o impacto da água podem ser observados pelo mirante brasileiro montado em frente às principais cachoeiras, inclusive a Garganta do Diabo.  E é claro, com tanta potência é impossível não se molhar.

Então, já fica o conselho: não tenha receios de ficar encharcado. Você pode tentar se proteger com capas de chuva, mas não perca a chance de ir até a passarela! É um momento singular, onde contemplar tamanha exuberância chega a emocionar.

 

Passarela das Cataratas do Iguaçu

A passarela montada sobre as Cataratas permite sentir de perto a imensidão das quedas, e a sensação é incrível! (Crédito: blog Apaixonados por Viagens)

 

O sentimento diante do esplendor das Cataratas é puro e genuíno: gratidão. E o passeio é definitivamente inesquecível. Essa combinação majestosa de fatores fez com que as quedas fossem classificadas como uma das 7 Maravilhas Naturais do mundo. Não da pra perder, não é mesmo?

Mais de um milhão de turistas do mundo inteiro visitam o Parque Nacional do Iguaçu todos os anos. Além da oportunidade de viver esse momento mágico diante das Cataratas, os visitantes podem fazer um passeio delicioso em meio à natureza do Parque.

Um ônibus turístico panorâmico faz um tour por todo o local, passando pela mata nativa e apresentando a flora e a fauna deslumbrantes do lugar. Completando o cenário, animais silvestres como macacos e quatis costumam dar as boas vindas a quem passar.

Porém, cuidado o excesso de fofura! Os bichinhos sabem bem como fazer aquele olhar pidão pra ganhar comida e demais guloseimas. Resista à chantagem emocional do olhar desses pequenos e adoráveis espertinhos e não alimente os animais para não causar problemas à saúde deles, ok?

 

Quatis no Parque do Iguaçu

Os quatis são ilustres e inofensivos moradores do Parque Nacional do Iguaçu e podem ser vistos andando pelas vias de acesso ao longo de todo o complexo. (Crédito: To Go Blogs)

 

Deu pra perceber que as Cataratas do Iguaçu são uma experiência única e destino obrigatório, mesmo para quem não é adepto do turismo ecológico, né? Para visitar o local, é necessário pagar uma taxa de entrada e o horário de funcionamento é das 9h às 17h diariamente.

Para mais dicas, curiosidades e informações sobre o parque, acesse a página e descubra mais sobre o encanto das Cataratas do Iguaçu.

Inspirador, né? Lugares bonitos pra conhecer e cachoeiras incríveis no Paraná é o que não falta. Programe sua viagem, faça seu roteiro e ponha o pé na estrada!

 

por Camila Viol.

 

Fontes:

Desviantes | Bonde | Cachoeiras no Paraná | Portal das Cachoeiras | Cataratas do Iguaçu

AVISO