Loteamentos
e Incorporação
Av. Higienópolis, 70
Londrina - PR
Segunda à sexta-feira
8h - 18h | Sáb 8h - 12h
Atendimento
(43) 3373-7979
[aps-social id="2"]

5 belezas naturais do Paraná para conhecer e se encantar!

Conheça as principais e mais belas ilhas, matas e cachoeiras para explorar e se aventurar no Paraná.

O Brasil é, com toda a certeza, “um país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza”, não é mesmo? E põe bonito nisso!

Nós temos uma das maiores costas litorâneas do mundo, uma vegetação variada, florestas densas e intocadas e verdadeiros paraísos naturais de água doce que se escondem pelas matas e grandes rochedos por aí.

O Paraná abriga toda essa diversidade do ecossistema entre recantos, cachoeiras gigantes e canyons que fazem do estado um santuário dos aventureiros e admiradores da natureza.

Quer conhecer um pouco mais dessa exuberância toda? Fizemos uma lista com as 5 mais incríveis belezas naturais do Paraná para quem quer ver, conhecer e se inspirar!

Vamos nessa?

 

1 – Ilha do Mel, a perfeita união de beleza exuberante e riqueza cultural

Um dos maiores atrativos do litoral paranaense é a Ilha do Mel, que fica há cerca 25km das praias e pertence ao município de Paranaguá.

 

Ilha do Mel com vista para o Farol das Conchas

Tomada aérea da Ilha do Mel com vista para o Farol das Conchas, um dos destinos mais lindos do Paraná.

 

O local é um recanto da natureza que é e faz questão de ser preservado. Para isso, há um controle rígido do número de visitantes à Ilha, não podendo exceder a 5 mil pessoas por dia. Além disso, não é permitido o uso de automóvel nem veículo de tração animal por lá, por isso o acesso é feito de barco em horários pré-definidos nas plataformas de embarque.

A travessia pode ser feita tanto por Paranaguá, que apesar de ser mais longa (aproximadamente 2 horas) possibilita desfrutar do belo cenário de outras ilhas, quanto por Pontal do Sul, que leva cerca de 40 minutos.

Por ser uma Unidade de Conservação Ambiental, mais da metade do território é proibido ao acesso dos visitantes, sendo permitido aos turistas conhecer dois setores da Ilha: Encantadas e Nova Brasília. E ambos valem muito a pena visitar!

O lado de Brasília é um tanto mais rústico e preserva com extremo cuidado a História da Ilha do Mel, abrigando a Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres, um forte militar construído em 1767 para proteção da baía e do porto de Paranaguá.

 

Fortaleza da Ilha do Mel

A Fortaleza da Ilha foi construída no século XVIII e permanece preservada e aberta a visitação dos turistas. (Foto: Pousada Vagalume)

 

Canhões do forte na baía - Ilha do Mel

Os canhões do forte militar permanecem intactos, assim como os observatórios construídos estrategicamente para proteger a baía.

 

Há também no mesmo lado da ilha o Farol das Conchas, uma belíssima construção de 1870 no alto do morro, feita para orientar a navegação da baía. Não precisamos nem falar da fantástica vista panorâmica que o farol oferece, não é mesmo?

 

Farol das Conchas - Ilha do Mel - Paraná

A vista do mirante do Farol das Conchas é de encher os olhos! (Foto: Guia Viagens Brasil)

 

Farol da Ilha do Mel no Paraná

Construído no século XIX, O Farol pode ser apreciado de perto após uma caminhada até o alto do morro. (Foto: Nômades Digitais)

 

Encantadas tem um estilo mais dinâmico, com opções de bares, quiosques e mais agito do que a tranquilidade absoluta de Nova Brasília. Mas nem por isso perde em beleza e pontos incríveis de visitação.

Prova disso é a Gruta de Encantadas, um dos locais mais belos da Ilha, e a Praia Grande, que é voltada ao mar de fora, com grandes ondas, mar azul e uma imensa faixa de areia branca. Paraíso dos surfistas e daqueles que curtem um belo dia de praia.

 

 

Gruta de Encantadas - Ilha do Mel

A gruta de Encantadas ao entardecer é um dos destinos mais românticos do Paraná. (Foto: trilheiros.net)

Passarela de acesso na Praia de Encantadas

Para chegar até a gruta, há uma passarela de acesso na Praia de Encantadas.

 

Praia Grande - Ilha do Mel no Paraná

A grande faixa de areia em frente ao mar aberto da Praia Grande traz a sensação de plenitude e infinito aos visitantes. (Foto: Rotas ALE)

 

Para conhecer esses lugares incríveis, a melhor dica é se hospedar na Ilha e aproveitar ao máximo dela. Existem pousadas nos dois lados, com diversas classificações de conforto, valor e custo-benefício para agradar a todos os públicos.

Nos pequenos vilarejos, além das hospedagens existem restaurantes, lanchonetes, pequenos mercados para compra pertences pessoais e locais destinados a aluguel de bicicleta para percorrer as belas praias da Ilha.

Programe-se para passar uns dias na Ilha do Mel e conhecer toda a estrutura e beleza desse recanto natural. Lembrando que como veículos não são permitidos, é necessário ir até o trapiche de onde saem as embarcações para travessia.

Há estacionamento pago para deixar o veículo no pier pagando pelo turno e também diárias, se for o caso. Outra opção é ir até lá com a linha interpraias de ônibus que passam em diversos horários.

Alguns cuidados são necessários antes de ir. Como a Ilha não possui serviços bancários, já separe uma quantia em dinheiro para utilização no local. Os estabelecimentos possuem, em sua maioria, serviços de cartão, mas não são todos.

Leve remédios e medicamentos necessários, porque não há farmácias na ilha. Como o transporte interno é feito sobretudo com bicicletas, evite levar muita bagagem para não se complicar na hora de se locomover por lá, ok?

Tome as devidas precauções e aproveite o melhor que a Ilha do Mel tem pra oferecer!

Para mais informações, acesse o site.

 

2 – Parque Nacional do Superagui, um verdadeiro recanto natural de preservação

O Superagui é um verdadeiro santuário natural de vegetação, flora e fauna intocados no tempo. Pertence ao município de Guaraqueçaba e fica a menos de meia hora de barco da Ilha do Mel.

O Parque pertence ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade e foi eleito Reserva da Biosfera e Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Por isso, você pode imaginar o quão preservado é, né?

 

Parque Nacional do Superagui - Paraná

Superagui é considerado um Patrimônio da Humanidade de natureza preservada. (Foto: Mar sem fim)

 

Botos-cinza no Parque Nacional do Superagui

Botos-cinza protagonizam verdadeiros espetáculos nas águas de Superagui. (Foto: Mar sem fim)

 

Espécies raras como as Araras no Parque do Superagui

A Unidade de Conservação Ambiental abriga espécies raras e em extinção da fauna brasileira. (Foto: Barca da Ilha)

 

É de cair o queixo! O Superagui é um lugar simples, pacato, rústico e nem de longe lembra os mais procurados destinos de turismo. Conforto também não é o ponto forte do local. Mas acredite, você nem vai sentir falta disso!

As praias são calmas e praticamente desertas, tornando-se o habitat de animais marinhos, como golfinhos e botos-cinza. As densas florestas abrigam espécies em extinção, como o mico-leão-da-cara-preta e o papagaio-da-cara-roxa.

O Parque é formado por um arquipélago, no qual as ilhas possuem matas e cachoeiras que podem ser visitadas através de trilhas ecológicas. Os barqueiros da Barra do Superagui fazem passeios aos destinos mais próximos para visitar toda a exuberância das ilhas ao redor.

Ilha das Peças, Sebuí, Barbados e Ilha do Pinheiro compreendem o passeio completo e podem ser visitadas no mesmo dia, possibilitando conhecer paisagens paradisíacas, deliciosa gastronomia local, apresentações memoráveis dos botos saltitantes pelo mar e revoada de aves raras aos fins de tarde.

Além dos passeios de barco, as praias são outro atrativo a parte. São 38 km de extensão territorial numa grande faixa de areia que segue até o estado de São Paulo. A vila dos pescadores fica de frente ao chamado mar de dentro, onde as embarcações atracam, em que o mar é mais escuro por causa do desemboque do rio no oceano.

 

Vila de pescadores da Barra do Superagui

A pequena vila de pescadores da Barra do Superagui recebe e acolhe turistas e apaixonados pela natureza. (Foto: Mar sem fim)

 

Devido a presença de águas-vivas, essa praia não é ideal para o banho, mas é de onde se tem uma vista plena do espetáculo dos botos e golfinhos. Já a Praia Deserta, onde se localiza o mar de fora, que é aberto ao oceano, tem águas cristalinas e é perfeito para aquele mergulho refrescante!

 

Praia deserta no parque Superagui

A Praia deserta faz jus ao nome! Para ir até ela, uma boa dica é pedalar pelas trilhas na ida e voltar a beira-mar! (Foto: Eduardo Vessoni)

 

Para desfrutar de tudo que o Parque oferece, o melhor é se hospedar em uma das pousadas caseiras e acolhedoras da ilha. Quase todas tem em comum a simplicidade, sendo que ar condicionado e frigobar são artigos de luxo. Mas são sempre agradáveis, com redes nas varadas e saborosos cafés da manhã a beira mar.

A vila toda, de uma maneira geral, é tranquila, com pequenos armazéns e poucos restaurantes, então opte por visitar o local em épocas de mais movimento, como finais de semana, feriados e alta temporada. Mesmo assim, não se espante ao se deparar com estabelecimentos fechados frequentemente: os hábitos são de cidade pequena mesmo.

E o melhor é que nada disso tira o charme singular dessa pacata ilha, cheia de encantos naturais e paisagens intocadas.

 

Beleza do Superagui

A beleza e a preservação de Superagui podem ser admirados em todos os cantos da ilha. (Foto: Special Paraná)

 

O acesso à ilha é feito por meio de barco saindo de Paranaguá, com horários diários e cerca de duas horas de travessia. Outra opção mais rápida, mas um pouco mais cara também, é fretando barcos particulares, tanto em Paranaguá quanto em Guaraqueçaba.

Um alerta é evitar os períodos de cheia no Parque, dos meses de março a maio, quando há muitas chuvas. Para maiores informações, o telefone de contato é (41) 3482-7146.

Programe-se, chame aquela companhia agradável, a família e os amigos e vá conhecer esse recanto deslumbrante de natureza real!

 

3 – Canyon Guartelá, um dos maiores canyons do mundo

O estado do Paraná abriga simplesmente o sexto maior canyon do mundo em extensão, o Guartelá. Situado em Tibagi, na região dos Campos Gerais, essa imensa área natural de declives é um verdadeiro patrimônio arqueológico da natureza.

São 798,97 hectares de uma biodiversidade que impressiona! Vegetação nativa, cachoeiras, cascatas e piscinas naturais, animais selvagens e o belíssimo rio Iapó cortando o canyon e criando um cenário que parece ser pintado a mão.

 

Canyon de Guartelá - Um dos maiores Canyons do Mundo

O Guartelá é um dos maiores canyons do mundo, com paisagens exuberantes. (Foto: Sitio Aguaraguazu)

 

Piscinas naturais no Rio Iapó

Piscinas naturais se formam nas corredeiras e declives do Rio Iapó, para a diversão dos turistas. (Foto: Pablo Contreras)

 

Outro grande atrativo do local são as pinturas rupestres feitas pelos indígenas do passado, conservadas e estudadas por arqueólogos. É a História sendo contada através de desenhos dos nossos ancestrais.

O local encanta a qualquer pessoa e a paisagem é de tirar o fôlego. Além de apreciar tudo de um mirante, é possível praticar esportes de aventura como rafting nas pedras e trilhas. O Canyon de Guartelá é cuidadosamente preservado, então contemplar a natureza é uma verdadeira dádiva de quem visita o lugar.

 

Mirante no Canyon de Guartelá

Através de um mirante, é possível observar toda a majestade do imenso Canyon Guartelá.

 

Por esse fator, é terminantemente proibido acampar, fazer churrascos, pescar, desmatar, jogar lixo no chão, alimentar animais, portar bebidas alcoólicas e demais atividades que possam contribuir com a depredação do ambiente.

É um patrimônio da natureza e assim deve permanecer, não é mesmo?

Como é um local um tanto rústico, não há opções de locais para alimentação, então é sempre bom levar algo para comer e beber. O horário de funcionamento do Parque e das 08h00 às 16h30, de quarta-feira a domingo e feriados.

Para mais dúvidas e informações, basta acessar o site da cidade de Tibagi ou ligar no disk turismo: 0800 643 1388.

 

4 – O Parque Vila Velha encanta com suas belíssimas formações rochosas

 

Grandes rochas no Parque Estadual de Vila Velha

Grandes rochas de arenito em vários formatos caracterizam o Parque Estadual de Vila Velha.

 

Outra grande Unidade de Conservação Ambiental que tem como maior atrativo as formações rochosas é o Parque Estadual de Vila Velha, localizado a cerca de 100km de Curitiba, em Ponta Grossa.

São três elementos que chamam a atenção e, é claro, a admiração dos visitantes: os arenitos, as furnas e a Lagoa Dourada. Todos incrivelmente belos!

Os arenitos podem ser observado já no símbolo do Parque, uma formação rochosa em forma de taça, caprichosamente esculpida pelo vento ao longo de muitos anos. Assim como ela, há outras formas “famosas” como a bota, o camelo e a garrafa.

É como se um grande artesão esculpisse, dia após dia, rochas enormes em formatos peculiares, não é?

 

Taça do Parque Estadual de Vila Velha

Símbolo do parque, a Taça é um dos monumentos mais procurados pelos visitantes.

 

Bota no parque estadual de Vila Velha

Devido à ação dos ventos e do tempo, uma das rochas ficou curiosamente conhecida como “Bota”. (Foto: Férias de Mochila)

 

Além dos fantásticos arenitos, as Furnas são de uma beleza exuberante. São 4 grandes crateras formadas pela erosão do tempo que contém água por baixo, devido a existência de lençóis subterrâneos.

A Lagoa Dourada também foi, um dia, mais uma Furna do canyon, há muito tempo atrás. Porém, a ação do vento diretamente nos arenitos acabou transformando a cratera numa grande lagoa.

Para completar, no fundo do lago há mica, um mineral que gera um efeito de brilho dourado na superfície, de acordo com a incidência dos raios solares. Um verdadeiro espetáculo da natureza!

 

Funa de água cristalina no Parque em Vila Velha

As furnas de água cristalina atraem milhares de turistas à Vila Velha todos os anos. (Foto: Patrícia Cardoso)

 

Lagoa dourada em Vila Velha

A Lagoa Dourada recebeu esse nome devido a minerais que dão essa coloração à água. A beleza é de impressionar! (Foto: Ana Paula Hirama)

 

Parque de Vila Velha - Próximo a Ponta Grossa - PR

O Parque de Vila Velha se localiza nas proximidades de Ponta Grossa e é um destino imperdível! (Foto: Viagem e Turismo)

 

Os passeios por Vila Velha são supervisionados por guias e instrutores através de trilhas e são disponibilizados ônibus para fazer o traslado até os pontos de passeio. Não é permitida a entrada no Parque com alimentos, somente na área para visitantes. Então programe bem seus horários, ok?

Para conferir todas essas incríveis belezas naturais de Vila Velha é cobrada uma taxa de entrada de acordo com o passeio escolhido. Há também o benefício da meia-entrada para quem preenche os requisitos legais.

O horário de visitação é das 8h30 às 15h30 e para mais informações, basta ligar para: (42) 3228-1138/ (41) 3213-3853/3819 ou acessar a página oficial do Parque Vila Velha no Facebook.

Não muito distante do Canyon Guartelá, Vila Velha complementa ainda mais o brilho dos Campos Gerais paranaenses. Além disso, há cerca de uma hora e meia está Prudentópolis, mais um destino obrigatório para os amantes da natureza!

A dica é ficar uns dias pela região e fazer um tour completo. Você não vai se arrepender!

 

5 – Prudentópolis, terra das Cachoeiras Gigantes

Entre Ponta Grossa e Guarapuava está um lugar que é de tirar o fôlego em todos os sentidos! Prudentópolis é conhecida como a “terra das cachoeiras gigantes” e abriga simplesmente a maior queda d’água do Sul do Brasil. E não é só essa.

O Salto São Francisco é a mais famosa e imponente delas, com 196m de altura. É muita água, muita força e muita beleza! Com um paredão equivalente a um prédio de 60 andares, turistas e amantes do esporte de aventura são conquistados pela exuberância do local.

 

A cachoeira de Prudentópolis - PR

A maior cachoeira do sul do país é o Salto São Francisco, em Prudentópolis. (Foto: Viagem e Turismo)

 

Além dela, existem na região muitas outras cachoeiras que precisam e merecem ser visitadas. O salto Mlot e o São Sebastião, de aproximadamente 120 e 130 metros respectivamente, ficam frente a frente, compondo um cenário de encantar qualquer pessoa!

Não muito distante está também o Salto Sete, que são 96 metros de queda envolta por uma vegetação de encher os olhos! Há boas trilhas de acesso até a cachoeira, o que facilita ainda mais o trajeto e a apreciação do ambiente.

Além delas ainda há outras inúmeras quedas, todas igualmente exuberantes, como o Salto São João, Barão do Rio Branco, Manduri e muitas outras que valem a pena conhecer!

 

Salto Mlot frente ao salto São Sebastião

O Salto Mlot fica de frente com o São Sebastião, compondo um cenário absolutamente incrível!

 

Barão do Rio Branco - Rota das Cachoeiras em Prudentópolis - PR

O Barão do Rio Branco é uma antiga usina desativada e faz parte da Rota das Cachoeiras de Prudentópolis. (Foto: G1)

 

Salto São João em Prudentópoils - PR

O Salto São João é uma das mais belas quedas da terra das Cachoeiras Gigantes. (Foto: Rotaventura Brasil)

 

São tantas quedas que a região é conhecida como a Rota das Cachoeiras, num complexo de belezas naturais, mata nativa, fauna e flora preservadas, trilhas e muito banho em águas cristalinas que jorram entre as rochas.

Isso faz de Prudentópolis o lugar perfeito para prática de esportes radicais como rapel, boiacross, cascading e canyoning, além de render fotos fantásticas, é claro!

Seja procurando por aventura ou simplesmente um local pra sentir paz e harmonia, esse é o seu lugar.

Quer saber mais sobre toda a exuberância das Cachoeiras Gigantes? Dá uma olhada nas mais belas quedas d’água do Paraná que selecionamos. Você vai se surpreender!

 

E aí, curtiu? Então tire um tempinho, planeje um itinerário bem bacana e caia na estrada! Lugares lindos no Paraná não faltam, então se joga nessa aventura!

 

por Camila Viol.

 

Fontes: Gazeta do Povo | Sempre Família | Ilha do Mel | Tibagi | Outras Terras

 

AVISO