Loteamentos
e Incorporação
Av. Higienópolis, 70
Londrina - PR
Segunda à sexta-feira
8h - 18h | Sáb 8h - 12h
Atendimento
(43) 3373-7979
28 ago 2017

Sabores do Paraná: conheça os principais pratos típicos do estado

A gastronomia no Paraná surpreende com a diversidade de preparos e ingredientes deliciosos!

A gastronomia brasileira é riquíssima, isso é inquestionável, resultado da interação entre imigrantes, tropeiros e nativos. Desde às moquecas nordestinas, passando pelos sabores exóticos do extremo norte até o típico churrasco gaúcho, a culinária regional de cada ponto do Brasil é uma mistura de ingredientes, temperos e combinações deliciosas.

No Paraná não é diferente! A gastronomia local traz em si variedade de preparos e tradições trazidas pelos imigrantes, mesclada à história vivenciada pelos tropeiros desde meados do século XVII.

A tropeirismo trouxe reflexos significativos ao Paraná em termos de culinária, originando pratos conhecidos e saboreados em todo o país como o feijão tropeiro e o arroz carreteiro. Juntamente a eles, o barreado é outro destaque gastronômico que enche de orgulho aos paranaenses.

Para conhecer um pouco mais sobre toda essa riqueza cultural de sabores, que tal fazer um tour gastronômico pela história e pelas cidades paranaenses, conhecendo um pouco mais de tudo que essa terra tem de bom pra oferecer em termos de culinária? Vamos nessa!

 

O Barreado de Morretes e Antonina – Paraná

Possivelmente o prato mais conhecido do Paraná, o Barreado tem influência portuguesa e teve sua origem no estado através de pescadores há cerca de 2 séculos. A ideia é simples, mas a execução é trabalhosa! Não é à toa que o Barreado é merecidamente nomeado como o prato típico do Paraná.

São aproximadamente 12 horas para que ele fique pronto, no ponto certo da carne e do sabor. Patinho, acém e músculo, cortes mais populares, são temperados e colocados submersos na água numa panela de barro. Em seguida, uma massa de farinha de mandioca e água vedam a panela para que o vapor não escape e a carne cozinhe como num forno.

A expressão Barreado vem justamente deste procedimento de vedação da panela, que precisa estar “barreada”. Este é o grande diferencial da receita! Após longas horas de cozimento, a carne estará incrivelmente macia e a água terá se transformado num molho encorpado e muito saboroso.

O tradicional Barreado é servido com farinha de mandioca, banana e rodelas de laranja, guarnições que combinam perfeitamente com esse prato que é a cara do Paraná!

Gastronomia Paranaense: Barreado de Morretes e Antonina

O Barreado é feito com carnes menos nobres e é o carro chefe dos pratos típicos paranaenses. (Foto: Jopavi Turismo)

 

Muito tradicional na região litoral do estado, Morretes, Antonina e Paranaguá disputam a qual delas pertence o Barreado original. Mas todas elas oferecem o que há de melhor em termos de pratos típicos paranaenses.

A dica é fazer um tour pela região, passando pela belíssima Estrada da Graciosa, que liga Curitiba a Morretes, passando por Antonina. A rodovia é cercada pela Mata Atlântica e pelo verde puro da Serra do Mar. A estrutura da região é encantadora, tendo acessos de lazer com sanitários, mirantes, churrasqueiras e outras conveniências para quem está turistando na área.

Há também um trem que parte de Curitiba e vai até Morretes, fazendo diariamente trechos de ida e volta. Sabe aquelas viagens de trem que a gente vê nos filmes? Então, é nesse estilo. O diferencial fica por conta de uma paisagem de tirar o fôlego de tão linda!

Gastronomia Paranaense: Passeio de Trem para Morretes-PR

Um passeio de trem pela Serra da Graciosa apreciando este cenário não é nada mal, né? (Foto: Vou na Janela)

 

Os restaurantes de Morretes e Antonina são especializados em Barreado, claro, mas há os tradicionais frutos do mar para acompanhar, além da cachaça artesanal da região que todo visitante precisa provar! As balas de banana produzidas lá também são super famosas, não dá pra ficar sem.

Este pedaço do Paraná é todo histórico e conta com construções bem antigas, casarões lindos, lojas de souvenir e muita tranquilidade. Esticando um pouco mais o passeio, vale a pena seguir pelo litoral e conhecer outras praias mais badaladas como Caiobá e Guaratuba, além da pacata e exuberante Ilha do Mel.

Gastronomia Paranaense: Morretes - PR

Morretes preserva todo o charme e beleza das construções de quase 300 anos de história (Foto: Paraná Portal)

 

Beleza Natural do Paraná: Ilha do Mel

A Ilha do Mel é um recanto de belas praias e uma verdadeira reserva natural em meio ao litoral paranaense. (Foto: Bem Paraná)

 

Passeio bom pelo litoral é o que não falta né? Mas nosso tour gastronômico está só começando!

Então vamos conhecer mais uma região paranaense de comidas deliciosas que você precisa visitar. Próxima parada: Campos Gerais!

 

O Pierogi polonês e o Borsch ucraniano de Prudentópolis

A imigração no Brasil, sobretudo no Paraná, teve forte influência europeia. Os poloneses e ucranianos, em especial, encontraram na região dos Campos Gerais uma terra que os recebeu e que lhes deu perspectivas de uma vida nova.

Os europeus, em troca dessa acolhida amorosa, nos ensinaram seus hábitos culturais, tradições e costumes de vestimentas, danças e de uma gastronomia deliciosa. O Pierogi é um prato típico polonês que fez sucesso por aqui.

Gastronomia Paranaense: Pierogi Polonês

O pierogi veio diretamente da Polônia para conquistar o coração dos brasileiros no Paraná! (Foto: Epicurious)

 

Feito a partir de uma massa recheada de batatas, carne suína e requeijão ou ricota, os bolinhos são cozidos e servidos com diferentes tipos de molho. Um acompanhamento tradicional do pierogi é o molho de linguiça, que casa perfeitamente com o sabor dos bolinhos.

Já os ucranianos trouxeram ao Paraná o sabor do Borscht, uma saborosa sopa feita com costelinha de porco defumada, repolho, beterraba e creme de leite. Como a Ucrânia é um país bem frio, os hábitos alimentares refletem essa cultura de inverno com caldos e sopas que são muito indicados aos dias mais gelados.

Gastronomia Paranaense: Borscht

Pautado em sabores fortes e marcantes, o borscht é um creme encorpado e saboroso de origem ucraniana que se tornou um prato típico do Paraná. (Foto: NoshOn)

 

Os Campos Gerais aceitaram essa herança europeia de bom grado, já que a região costuma ter temperaturas mais amenas durante o ano e invernos rigorosos. Isso, inclusive, foi o que facilitou a adaptação de poloneses e ucranianos na região.

Prudentópolis é uma das cidades que pertence aos Campos Gerais e que traz toda essa cultura ucraniana e polonesa de forma intensa. Com gente simples, alegre e muito animada, a cidade promove eventos relacionados à dança e ao folclore europeus, além de ter uma arquitetura com os traços dos países de origem de seus imigrantes.

Os restaurantes trazem o melhor da comida ucraniana e polonesa, com muito pierogi e borscht, é claro! A culinária voltada a pratos mais quentes faz também de Prudentópolis um dos melhores destinos de inverno do Brasil.

Destinos de Inverno: Prudentópolis - PR

Prudentópolis é marcada por uma mescla de culturas e um povo feliz e receptivo. (Foto: Haiku Deck)

 

Um passeio até lá vale a pena, porque além de experimentar as delícias típicas da região, a cidade é um abrigo de belas e imponentes cachoeiras! Este, aliás, é o motivo de Prudentópolis ter recebido o título de “Terra das Cachoeiras Gigantes”.

Para se ter uma ideia da importância disso, é lá que se localiza a segunda maior cachoeira do Brasil, o Salto São Francisco, com 196 metros de altura! Além desta, há muitas outras na região, que inclusive ganhou um roteiro para conhecer as principais quedas d’água chamado Rota das Cachoeiras.

São cachoeiras belíssimas, trilhas, muita mata virgem, ar puro, natureza exuberante e esportes de aventura!

Prudentópolis: Terra das Cachoeiras Gigantes

O Salto São Francisco é um verdadeiro paredão de rochas e águas cristalinas situado em Prudentópolis, a terra das cachoeiras gigantes! (Foto: Naturam)

 

O Feijão Tropeiro e o Arroz Carreteiro de Castro

Os tropeiros ou carreteiros eram assim conhecidos por conduzir cavalos e mulas que transportavam cargas dos sítios e fazendas até as cidades de comercialização no início do século XVII.

Esse movimento trouxe uma forte influência para o Paraná, porque por conta dos longos itinerários que iam do Rio Grande do Sul até o estado de São Paulo, algumas regiões paranaenses acabaram se tornando pouso praticamente obrigatório aos tropeiros.

Castro, Lapa e Tibagi foram as principais cidades a abrigar os carreteiros e se tornaram, por isso, referência no tropeirismo brasileiro. Como percorriam grandes distâncias, os carreteiros optavam por carregar somente alimentos não perecíveis, para que suportassem às viagens.

Charque, milho, farinha de mandioca, toucinho, arroz e feijão eram os ingredientes preferenciais e, a partir deles, originaram-se alguns dos principais pratos típicos do Paraná: o Feijão Tropeiro e o Arroz de Carreteiro.

O Feijão Tropeiro também é conhecido como Virado de Feijão, e é consumido no Brasil todo. Misturando farinha de mandioca ao feijão temperado e acrescentando torresmo e bacon, temos um simples e delicioso prato de Feijão Tropeiro.

Ao longo do tempo e de acordo com cada região do país, algumas adaptações foram sendo feitas, como a inclusão de ovos, linguiça calabresa e temperos a gosto. A couve é tradicionalmente servida como acompanhamento, e fica uma delícia!

Gastronomia Paranaense: Feijão Tropeiro

Da mistura da farinha com o feijão, os tropeiros criaram um prato simples de executar e que seria capaz de sustentá-los por bastante tempo em suas longas viagens. (Foto: Santa Amália)

 

Como os tropeiros percorriam muitos estados, Minas Gerais e São Paulo também reivindicam a autoria do prato, mas cada lugar deixou suas marcas na elaboração e na execução do Feijão. E quem ganha somos nós, claro!

Da mesma forma que o Feijão Tropeiro, surgiu também o Arroz de Carreteiro, feito da mistura do arroz com a carne seca ou carne de sol desfiada. Acrescenta-se, então, uma boa linguiça em pedaços temperada com alho, cebola, tomate e cheiro-verde. É de dar água na boca!

Gastronomia Paranaense: Arroz Carreteiro

As cidades de Castro, Lapa e Tibagi oferecem o que há de melhor em comida tropeira, como o arroz de carreteiro. (Foto: Tropilha Grill)

 

De onde se originaram precisamente esses pratos típicos não sabemos, já que os tropeiros eram itinerantes. O que é certo é que em Castro, Lapa e Tibagi você encontrará, sem dúvida alguma, todo o sabor e a tradição que requerem o feijão tropeiro e o arroz carreteiro de origem.

Além disso, quem passar pela região poderá encontrar também o Canyon Guartelá, simplesmente o 6º maior canion do mundo em termos de extensão! Cortado pelo Rio Iapó e cercado de vegetação nativa com cascatas e piscinas naturais, o Guartelá é um local que precisa ser visitado!

Canyon de Guartelá - PR

Envolto à vegetação nativa, grandes rochas e vales, o Guartelá tem paisagens de tirar o fôlego e impressionar. (Foto: Lugares Fantásticos)

 

Como estas são cidades históricas, há muita riqueza cultural presente, contando com museus, capelas, fazendas e colônias de imigrantes repletas de cultura e tradição europeia, sobretudo Castro, a “cidade holandesa”. Vale a pena conhecer!

A cidade Holandesa: Castro - PR

Castro tem grande influência holandesa em suas raízes, com museus e colônias que seguem a estrutura arquitetônica e cultural da Europa. (Foto: Mapio)

 

O Porco no Rolete de Toledo

A região oeste paranaense abriga um dos pratos típicos do estado e um dos mais saborosos do Brasil: o porco no rolete! Berço deste menu, Toledo realiza anualmente uma espécie de torneio e festival gastronômico visitado por milhares de pessoas.

Gastronomia Paranaense: Porco no Rolete

Tradição em Toledo, o Porco no Rolete é um prato típico da região que atrai um grande público aos eventos gastronômicos da cidade. (Foto: Prefeitura de Toledo)

 

A Festa do Porco no Rolete reúne apreciadores do prato e competidores que duelam entre si na disputa do melhor assado suíno do festival. São diversos tipos de recheios e combinações de ingredientes, uma melhor que a outra!

O preparo, porém, segue uma tradição criteriosa para a preparação do animal. A começar pela alimentação e cuidados com o porco, que recebe uma dieta diferenciada nas proximidades do evento para perder gordura sem perder peso.

A idade do animal também é um fator importante: aproximadamente 6 meses de vida. Mais do que isso, já há alteração na consistência, maciez e sabor da carne. Um outro detalhe que faz a diferença no resultado final é fazer pequenos furos no couro antes de assar, porque isso permite que a gordura saia e torne o prato mais leve para a digestão.

Retiram-se as entranhas e então o porco é recheado com linguiça calabresa, carne moída, milho, ervilha, palmito e cogumelos. Como a cidade teve colonização alemã, temperos marcantes como noz-moscada, alecrim e vinho branco também costumam ser utilizados no preparo.

Aí entra a parte mais longa da execução do prato. O porco inteiro é colocado para assar num espeto que permanece girando na mesma direção e velocidade por até 20 horas! É um trabalho e tanto, mas quem já teve a oportunidade de experimentar sabe que a espera compensa.

Quando chega a hora de servir, a carne se apresenta suculenta, macia e muito bem temperada, com aquela casquinha à pururuca por fora. É de salivar!

Gastronomia Paranaense: Porco no Rolete - Toledo - PR

Recheado com diversos ingredientes e após um preparo cuidadoso, o porco faz sucesso em toda a região. (Foto: Prefeitura de Toledo)

 

Localizada no extremo oeste do estado, Toledo fica bem próximo à Foz do Iguaçu e ao Paraguai, então uma sugestão bem interessante é ir até a cidade para provar esse delicioso prato típico na Festa do Porco no Rolete e dar uma esticadinha até o Paraguai para fazer compras.

Foz do Iguaçu também não pode ficar de fora do roteiro! As Cataratas do Iguaçu são um espetáculo da natureza que precisa ser visto de perto. São mais de 200 quedas d’água, incluindo a mais majestosa delas, a Garganta do Diabo.

E a grandiosidade das quedas é de emocionar!

Passeio em Toledo, Cataratas do Iguaçu e Paraguay

A beleza das Cataratas do Iguaçu classificou o local como uma das 7 Maravilhas Naturais do Mundo. E não é pra menos, né? (Foto: Aos Viajantes)

 

O pinhão do Paraná

A Araucária faz parte de uma vegetação típica do Paraná, muito comum na região sul do estado, sobretudo nas proximidades da capital Curitiba. O fruto da Araucária é o pinhão, um ingrediente delicioso que dá origem a diversos pratos típicos paranaenses.

No Brasil todo, o pinhão é comumente lembrado no inverno, estação das festas juninas. Nestas ocasiões, o preparo mais frequente é o cozido, removendo a casca depois para saborear a parte carnuda que fica no interior do fruto.

Mas como no Paraná ele é tido em abundância, há uma diversidade de pratos e preparos surpreendentes que podem ser feitos com o pinhão! Nhoque, bolinhos, escondidinho, farofa com banana, risotos e outras iguarias deliciosas ganham um toque especial com o uso deste ingrediente tão versátil.

Gastronomia Paranaense: Risoto de Pinhão

Que tal este risoto feito com pinhão? A textura e o sabor deste ingrediente tipicamente paranaense conquistou o paladar dos brasileiros! (Foto: Sabores do Sul)

 

O pinhão é tão diversificado que fizemos até um artigo inteirinho sobre ele aqui no blog, compartilhando receitas inusitadas e super saborosas no nosso especial de festas juninas! Dá uma conferida depois porque tá simplesmente imperdível!

 

O Carneiro no Buraco de Campo Mourão

Uma tradição paranaense no quesito gastronomia são os chamados churrascos de chão, onde buracos profundos são cavados para o preparo de assados. A origem do mecanismo veio dos índios que habitavam a região buscando proteger as matas, pois o buraco evitava o risco de incêndios na vegetação.

Em Campo Mourão o costume ganhou força ao longo dos anos com uma festa que ficou conhecida no Brasil inteiro: O Carneiro no Buraco! A cidade promove desde 1990 um evento anual para apreciação do carneiro feito no chão.

Gastronomia Paranaense: Carneiro no Buraco

A festa do Carneiro no Buraco é muito famosa em Campo Mourão, tornando a iguaria conhecida até mesmo em outros estados e países próximos. (Foto: Revista Metrópole)

 

Na elaboração da iguaria, a carne é cortada em partes pequenas e deixada marinar no tempero de ervas e vinho branco por cerca de 3 horas. Depois, o carneiro é passado para uma grande panela de ferro, sendo intercalado com camadas de tomate, cebola, cenoura, pimentão, batata doce, vagem, abobrinha, banana, maçã e chuchu.

Aí é hora de ir para o chão! O buraco deve ter pelo menos 1,8 metros de profundidade onde são colocadas toras de lenha para queimar por cerca de 4 horas. A panela é então inserida na cavidade por meio de ganchos para assar dentro do local.

Depois de cerca de 6 horas assando, o carneiro já está muito macio e bem saboroso! Arroz, pirão e uma salada simples de almeirão são suficientes para acompanhar esse prato típico do Paraná!

Gastronomia Paranaense: Carneiro no Buraco

Após um preparo meticuloso e o casamento perfeito entre ingredientes diversificados, o Carneiro no Buraco torna-se um prato delicioso e com sabores inigualáveis! (Foto: Campo Mourão Comunidade)

 

Campo Mourão é o berço do Carneiro no Buraco, e o evento é aguardado por milhares de pessoas todos os anos, fazendo da cidade uma referência em gastronomia típica do Paraná. Até mesmo países vizinhos conhecem a tradição e a fama deste prato que é orgulho do estado.

Os churrascos de chão são comuns por todo o Paraná, então vale a pena fazer um tour e conhecer um pouco mais da culinária paranaense e dos costumes de cada região.

Grandes e pequenos municípios oferecem boa comida, hábitos, culturas locais e uma acolhida sincera e carinhosa que todo mundo deveria vivenciar.

Depois de tantos pratos e preparos incríveis, é justo não deixar ninguém passando vontade, né?

Por isso nós selecionamos uma receita sensacional de Arroz Carreteiro para fazer em casa de uma maneira fácil e não ter dúvidas! Então se liga nas dicas e formas de preparo pra elaborar esse prato delicioso!

 

Receita de Arroz de Carreteiro

<iframe width=”560″ height=”315″ src=”https://www.youtube.com/embed/YUsiWyGbhxE” frameborder=”0″ allowfullscreen></iframe>

 

Fácil, né? Da mesma forma que o arroz carreteiro, os outros pratos típicos paranaenses são de dar água na boca e vale a pena provar!

Então seja sozinho, com os amigos ou em família, coloque o pé na estrada para se aventurar nessa viagem gastronômica de sabores indescritíveis e paisagens inesquecíveis que só o Paraná tem!

 

por Camila Viol.

Fontes: Fala Turista| Anis Gastronomia | Special Parana | Turismo PR