Loteamentos
e Incorporação
Av. Higienópolis, 70
Londrina - PR
Segunda à sexta-feira
8h - 18h | Sáb 8h - 12h
Atendimento
(43) 3373-7979

Juros Baixos? É Hora de Investir em Imóveis!

Você já deve ter ouvido no noticiário da TV ou na página política dos jornais sobre a taxa básica de juros e sua variação sazonal. A taxa básica de juros brasileira já esteve entre as mais altas do mundo, mas nos últimos anos tem caído de maneira consistente e deve permanecer reduzida pelos próximos meses.

Mas afinal, você sabe o que os juros baixos significam para quem investe em imóveis?

Um investidor iniciante pode achar termos como “taxa básica de juros” complicados demais para as operações do dia a dia. Isso faz com que muitas informações valiosas não recebam a devida atenção e boas oportunidades de negócio sejam perdidas.

No entanto, há um segredo que os maiores investidores aprendem logo que começam a aumentar seu volume de capital aplicado. Conhecer o mercado financeiro, sua linguagem particular e, principalmente, saber como tirar proveito de tudo isso é essencial para realizar bons negócios em qualquer cenário econômico.

Mas vamos por partes!

Investimento em Imóveis

Oportunidades de investimento e ganhos com a queda nos juros

 

A taxa básica de juros, também conhecida como taxa Selic, é estipulada pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central em oito reuniões anuais que acontecem periodicamente. Ela é produzida a partir de um cálculo que leva em conta as operações financeiras de todos os bancos atuantes no país, além de ser uma ferramenta importantíssima para a política econômica do governo.

Embora não tenha poder para determinar, a Selic tem grande influência na taxa de juros praticada por todos os bancos privados que atuam no Brasil, uma vez que ela tende a ser a menor taxa de juros existente na economia.

Portanto, uma taxa Selic menor leva a taxas menores em todo o restante do mercado financeiro. E onde essas taxas praticadas pelos bancos privados podem ser sentidas? Praticamente em todos os setores da economia: na caderneta de poupança, nos empréstimos, nos financiamentos imobiliários e, o mais importante, na inflação.

Na última reunião do Copom, ocorrida em 20 de junho, foi decidida a manutenção da Selic em 6,5% ao ano. Esse é um percentual consideravelmente baixo se comparado aos 14,25% definidos pelo Banco Central entre julho de 2015 e agosto de 2016. Desde então a taxa vem caindo a uma média de 1% em cada reunião do Copom, até chegar ao patamar atual.

 

Taxa de Juros Baixas, Poupança Menos Vantajosa

Como já dissemos, a caderneta de poupança está intimamente ligada ao percentual da taxa Selic. Isso porque é ela que determina o cálculo do rendimento da poupança, e quando a taxa básica cai, esse rendimento também tende a cair. Para ser mais exato, em setembro do ano passado a Selic estava em 8,25% e a poupança estava rendendo 5,78% ao ano. Hoje, com a Selic em 6,5%, o rendimento da poupança está em 4,55% ao ano, bem abaixo de vários outros investimentos disponíveis no mercado.

Mas o que significa a poupança render menos para você que investe em imóveis? Entre outras coisas, um rendimento inferior significa que aquele dinheiro que em outro cenário estaria “parado” nas cadernetas de poupança pode voltar à economia em forma de compras e investimentos.

Para o setor imobiliário essa é uma ótima notícia, uma vez que imóveis ainda são um dos investimentos favoritos dos brasileiros, principalmente aqueles com pequeno ou médio capital.

Para ficar mais claro, vejamos um exemplo. Se um investidor tem disponível um valor de R$ 100 mil e o deposita na poupança, com o rendimento atual ele terá após 5 anos um ganho de R$ 27.200.

Se esse mesmo investidor pegar seus R$ 100 mil e aplicá-lo comprando imóveis, seus ganhos com a valorização após 5 anos devem chegar a mais de R$ 30 mil. Essa projeção é feita de acordo com o Índice FipeZap dos últimos anos, mas pode ser muito maior em algumas cidades do Brasil.

Poupança x Imóveis

Investir em imóveis é tão seguro quanto a poupança, porém mais vantajoso

 

Isso é especialmente verdadeiro para o ramo de loteamentos, onde a simples conclusão das obras de infraestrutura representa uma grande valorização do terreno.

A HF Urbanismo tem um catálogo de loteamentos com infraestrutura completa em cinco estados brasileiros. São imóveis residenciais e comerciais de diversos tamanhos e prontos para investimentos.

Conheça nossas oportunidades de negócio!

 

Queda na Selic Torna Financiamentos Mais Acessíveis

Além da poupança, outro fator importante que também é influenciado pela Selic é a taxa de juros sobre empréstimos e financiamentos. Uma taxa básica de juros mais baixa tende a empurrar para baixo os juros aplicados nessas operações, fazendo com que elas se tornem muito mais atrativas e vantajosas para quem quer comprar imóveis para uso próprio ou investimento.

Mais facilidade para contrair empréstimos e financiamentos aliada a uma disposição maior para substituir a caderneta de poupança por aplicações mais vantajosas significa mais compradores em potencial interessados em imóveis para investir, construir ou alugar.

Embora o cenário econômico brasileiro ainda tenha muitas incertezas, isso não deve ser entendido necessariamente como uma desvantagem para o setor imobiliário. O investimento em imóveis é um dos mais seguros a longo prazo e está vinculado a flutuações de preço muito menores que outras aplicações disponíveis no mercado, além de ter valorização praticamente certa.

Por fim, a Selic também é grande influenciadora da taxa de inflação observada no país. As duas são inversamente proporcionais, o que significa que uma taxa básica de juros menor tende a provocar uma inflação maior.

Em outras palavras, a Selic mais baixa eleva o poder de compra do brasileiro e o fato de mais pessoas estarem comprando faz com que os preços (incluindo o dos imóveis) tenham aumento mais acelerado ao longo dos meses.

Isso acontece por causa da lei de oferta e procura, mas é um preço que os governos costumam pagar para incentivar o crescimento econômico, principalmente após o cenário de crise enfrentado nos últimos anos.

A baixa da Selic é uma política que deve ser mantida pelo menos até janeiro, quando um novo governo eleito irá aplicar sua própria política monetária. No entanto, é muito provável que a redução seja mantida ou se altere levemente até o fim de 2019, já que não é interessante uma modificação brusca no mercado.

Investir em imóveis agora é aproveitar o momento certo para ganhar mais pagando menos!

 

por Felipe Libório.

Fontes: Folha Uol | Toro Radar | Magnetis – Blog | Agência Brasil | Brasil.gov.br